Imaginávamos que o maior INIMIGO de nossos Clientes fosse a “PIRATARIA” (Ato de apropriar-se indevidamente de Propriedade Industrial e Intelectual), porém, para a nossa surpresa constatamos que nos últimos anos e na mesma proporção da “PIRATARIA” tem surgido o ‘PICARETA”.

Recentemente, alguns de nossos Clientes tem sido contatados por esses “PICARETAS”, principalmente, quando algum dos seus Processos são publicados na Revista da Propriedade Industrial. Isto, deve-se ao fato de que estas publicações geram providências e é claro uma chance real de “ganhar uma grana”, como dizem eles.

Em publicação no Jornal do Comércio de Porto Alegre/RS (09/10/2001), o Dr. Custódio de Almeida através de matéria intitulada: Os “Picaretas” e os “Espertos Executivos”, relatava o seguinte:

[De uns tempos para cá foi surgindo uma casta de vigaristas, conhecidos como “Picaretas”, que oferecem vantagens milagrosas a baixo custo. A técnica dos “Picaretas” consiste em oferecer vantagens e milagres por um custo inicial atrativo em demasia. Depois que o Cliente (leia-se Vítima) se deixa envolver pela “lábia” do malandro e já está, portanto, no “papo”, ele, o “Picareta” vai criando meios e justificativas para extorquir mais dinheiro. Com essa técnica ele consegue, no fim, ter recebido um valor muitas vezes maior do que teria sido pago a um procurador honesto. A Empresa estando envolvida, temendo perder o que já foi investido, vai soltando mais “gaita”. Se tiver muita sorte talvez consiga obter o que pretendia.]

Sempre, que comprovadamente, tomamos conhecimento destes fatos, os denunciamos ao Conselho de Ética do INPI. Já efetuamos mais de 8 denúncias. Com isso, esperamos estar contribuindo para que possamos erradicar estas “Pragas” e pedimos sinceramente à Deus que abençoe os nossos Leais Concorrentes, pois eles nos fazem levantar mais cedo, porém não nos tiram o sono.

Jorge Carvalho - Agente da Propriedade Industrial e Diretor-Presidente